Export citation

Show simple item record

dc.contributor.authorRibas, Daniel
dc.date.issued2019
dc.date.submitted2019-07-09 08:50:39
dc.date.submitted2020-04-01T10:14:56Z
dc.identifier1005153
dc.identifierOCN: 1135845449
dc.identifierhttp://library.oapen.org/handle/20.500.12657/24951
dc.identifier.urihttps://directory.doabooks.org/handle/20.500.12854/31081
dc.description.abstractThis book intends to examine the films of João Canijo and their ties to representations of national identity. For that purpose, we did a review of literature on Portuguese cultural identity in its diverse dimensions (historical, literary and anthropological), focusing on the importance of Salazar’s ideology and the current identity debates. In the second part of this thesis, we try to analyse eight feature films made by the director, proposing the idea of a dramaturgy of violence, through intertextuality with Greek tragedy and film melodrama, which gives a perspective of a representation of contemporary Portugal, based on a patriarchal society and its violence. We argue the importance of concepts such as non-inscription, by José Gil, or the repressed, by Eduardo Lourenço, to comprehend the films. At last, our analysis debates the issue of realism in cinema, through the prism of contemporary changes suggested by the work of the filmmaker, which fuses fictional and documentary elements. Finally, we suggest a type of dramaturgy of violence in João Canijo’s films that try to question the existing images of Portuguese identity and its cultural representations.
dc.description.abstractEste livro pretende analisar a obra de João Canijo e a sua relação com as representações da identidade nacional. Para isso, socorre-se de uma revisão bibliográfica sobre a identidade cultural portuguesa, em diversas dimensões (histórica, literária e antropológica), ressaltando, sobretudo, a importância da ideologia salazarista e a tensão identitária da situação atual. Na segunda parte, o livro ensaia uma análise a oito longas-metragens do realizador, propondo a ideia de uma dramaturgia da violência, através de uma intertextualidade com a tragédia grega e o melodrama cinematográfico, que pretende dar conta de um imaginário português contemporâneo, que se baseia numa sociedade patriarcal e na sua violência. Nesse sentido, argumenta-se a importância de conceitos como a não-inscrição, de José Gil, ou o recalcado, de Eduardo Lourenço, para a compreensão dos filmes. Num último momento, esta análise percorre o debate do realismo no cinema, através do prisma das mudanças contemporâneas sugeridas pela obra do cineasta, em que se destaca uma hibridez entre elementos ficcionais e documentais. Sugere-se, finalmente, uma dramaturgia da violência nos filmes de João Canijo que procura rever o imaginário existente no que diz respeito à identidade portuguesa e às suas representações culturais.
dc.languagePortuguese
dc.rightsopen access
dc.subject.classificationbic Book Industry Communication::A The arts::AP Film, TV & radio::APF Films, cinema::APFA Film theory & criticism
dc.subject.classificationbic Book Industry Communication::H Humanities::HB History::HBL History: earliest times to present day::HBLW 20th century history: c 1900 to c 2000::HBLW3 Postwar 20th century history, from c 1945 to c 2000
dc.subject.classificationbic Book Industry Communication::H Humanities::HB History::HBT History: specific events & topics::HBTB Social & cultural history
dc.subject.otherNational identity
dc.subject.otherPortuguese Cinema
dc.subject.otherJoão Canijo
dc.subject.otherViolence
dc.subject.otherSalazarism
dc.subject.otherTragedy
dc.subject.otherRealism
dc.subject.otherMelodrama
dc.subject.otherPortugal
dc.subject.otherIdentidade Nacional
dc.subject.otherCinema Português
dc.subject.otherViolência
dc.subject.otherSalazarismo
dc.subject.otherTragédia
dc.subject.otherRealismo
dc.subject.otherMelodrama
dc.titleUma dramaturgia da violência
dc.title.alternativeos filmes de João Canijo
dc.typebook
oapen.relation.isPublishedByd9a03ad1-6117-44b0-b416-39c4feafb879
virtual.oapen_relation_isPublishedBy.publisher_nameImprensa de História Contemporânea
oapen.relation.isbn9789898956071; 9789898956088; 9789898956095
oapen.pages281
dc.abstractotherlanguageEste livro pretende analisar a obra de João Canijo e a sua relação com as representações da identidade nacional. Para isso, socorre-se de uma revisão bibliográfica sobre a identidade cultural portuguesa, em diversas dimensões (histórica, literária e antropológica), ressaltando, sobretudo, a importância da ideologia salazarista e a tensão identitária da situação atual. Na segunda parte, o livro ensaia uma análise a oito longas-metragens do realizador, propondo a ideia de uma dramaturgia da violência, através de uma intertextualidade com a tragédia grega e o melodrama cinematográfico, que pretende dar conta de um imaginário português contemporâneo, que se baseia numa sociedade patriarcal e na sua violência. Nesse sentido, argumenta-se a importância de conceitos como a não-inscrição, de José Gil, ou o recalcado, de Eduardo Lourenço, para a compreensão dos filmes. Num último momento, esta análise percorre o debate do realismo no cinema, através do prisma das mudanças contemporâneas sugeridas pela obra do cineasta, em que se destaca uma hibridez entre elementos ficcionais e documentais. Sugere-se, finalmente, uma dramaturgia da violência nos filmes de João Canijo que procura rever o imaginário existente no que diz respeito à identidade portuguesa e às suas representações culturais.
dc.notes2019-07-09 08:37:15, Funder name: Fundação para a Ciência e Tecnologia/Acronym: FCT -NOVA FCSH -IHC/Grant number: UID/HIS/04209/2013 UID/HIS/04209/2019


Files in this item

FilesSizeFormatView

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

open access
Except where otherwise noted, this item's license is described as open access